Feminismo ou Femismo

O 08 de março é o DIA INTERNACIONAL DA MULHER e precisamos refletir sobre o papel do feminismo nas conquistas da mulher, e porque não dizer da sociedade.

Foram ações como o Movimentos Sufragista que deram às mulheres a conquista do direito ao voto na Inglaterra e nos Estados Unidos. No Brasil esta luta teve como protagonistas César Zama, Almeida Nogueira, Lopes Trovão e Saldanha Marinho, estes homens foram grandes defensores e os principais responsáveis por esta conquista, vale ressaltar que essa é uma conquista da sociedade como um todo. Além destes também Nilo Peçanha, Hermes da Fonseca, que futuramente se tornariam presidentes, e Rui Barbosa, Barão do Rio Branco e Godofredo Lamounier também tiveram grande participação nesta luta.

O Sufragismo reflete o saudoso movimento feminista de outrora, que representava uma mulher madura, segura, sem medo de desafios e sem enxergar o homem como inimigo. Hoje os discursos feministas se confundem e em muitas vezes se fundem ou são subjugados pelo femismo. Os discursos pregando o ódio irracional a todos os homens, bem como culpando-os por todos as frustrações, fracassos e problemas parte de “feministas” doravante tratadas neste texto como “pseudo feministas”, que se perderam na luta pelos seus direitos e passaram a lutar para que as mulheres sigam suas cartilhas em uma empreitada praticamente catequizadora de que mulher livre são as que seguem suas idéias, caso um mulher opte por ser mãe, cuidar dos filhos e tido como uma afronta à luta feminista, vamos frisar aqui que a luta feminista é para a mulher ter liberdade de ser o que quiser ser, porém, o “pseudo feminismo” defende que a mulher pode ser tudo que ela queira ser, desde que isso esteja na cartilha, sob pena de ser taxada de oprimida, machista etc…

Outra saga é a “desconstrução do padrão de beleza”, ou seja, o que você acha bonito está errado, você não pode ter opinião, sua concepção sobre o que te parece belo é uma afronta, uma verdadeira violência! Em outras palavras você não tem mais o direito a opinião, deve aderir à cartilha “pseudo feminista” ou estará incorrendo em pecado grave contra a “cúria régia” deste outrora tão pensante movimento!

Notícia Ativa

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*